Onde está o látex?

Os números divergem por que alguns dirão que o látex está em cerca de 40 mil produtos, mas apurações mais detalhadas chegam próximas a 300 mil produtos quando analisamos não só de que são constituídos em maioria, mas também detalhes.

O fato é que vivemos cercados de borracha e quando se tem Síndrome Látex Alimentos – SLA aí está o primeiro grande desafio, retirar todo látex de seu convívio.

Por mais detalhada que eu faça a lista, ainda descobrirão mais coisas em seu dia a dia, por isso tentarei lembrar das essenciais e das que eu mesma me surpreendi quando me dei por conta que estavam ali.

luva-latex
Imagem de mãos com luvas de látex, segurando uma faca e cortando rodelas de pepino.

Luvas e balões festivos são nossas maiores vilões pois além do látex oferecer perigo ao contato, são as formas em que ele mais contamina todo ambiente, havendo registro de pessoas que reagem a uma única molécula pairando no ar a cerca de 20 metros ou mais, e esta pode ficar no ambiente por cerca de 3 dias.

Roupas, especialmente as íntimas, bem como lençóis e tudo mais que terá de ser substituído por livres de elásticos mas também observado a composição dos tecidos, que não são obrigados a declarar até 5% de mistura, então a regra é se reage, não usa. Fala-se com as empresas pelo SAC mas nem sempre isso é esclarecedor, e temos de observar também a lavagem das roupas pois estas as quais reagimos não podem ser lavadas junto com as do nosso uso e algumas vezes nem usadas pelas pessoa próximas a nós.

Nos calçados além da sola precisamos estar atentos às colas que tenham contato com os pés pois elas contém látex e este será liberado com o suor dos pés. Além disso, calçados sintéticos com aromas contém óleos em seu tratamento e estes tem látex. Calçados devem ser deixados do lado de fora das casas, procure ter chinelos para oferecer as visitas, ou o piso deve ser muito bem lavado após elas andarem sobre ele com calçados de solas de borracha e mesmo outros pois trarão contaminações diversas da rua ao ambiente.

Eletrodomésticos: Nestes a relação é enorme, vai desde os secadores de cabelo que por terem borrachas em contato com o ar quente as farão ser inaladas por nós ao corta gotas da cafeteira que pode e deve ser retirado pois o café passa por ele e assim é contaminado. Liquidificadores terão de ser de copo inteiro e ainda assim verificado o material  da vedação. Panelas de pressão não poderão ter vedação de borracha natural, existem algumas com silicone que podem ser usadas mas o silicone também pode conter misturas então há de se informar com o fabricante. Sistemas de ar em geral, ventiladores, estufas, ar condicionados, tudo terá de ser conferido.

Imagem em close de um tapete de borracha para veículos.
Imagem em close de um tapete de borracha para veículos.

Nos veículos, a primeira coisa a providenciar é a substituição dos tapetes pelos de material sintético. Muita coisa nos veículos não poderão serem substituídas e o uso do ar condicionado do carro costuma ser problemático bem como andar com as janelas abertas pois estaremos inalando borrachas liberadas no ambiente por todos os veículos então temos de descobrir por nós mesmos qual a maneira menos nos afeta e em viagens longas o uso de máscaras pode ajudar um pouco mas elas não seguram as proteínas pesadas do látex.

Adesivos em geral têm látex. Os que não têm látex, têm milho, o que é problema também para muitos.

Controles remotos costumam ter botões de borracha natural, um filme plástico a ser trocado de tempos em tempos pode resolver.

Cabos de carregadores de celular, fones de ouvido e outros podem conter látex. Nos fones há de se observar também as espumas internas.

Vedações de filtros de água ou mesmo de torneiras podem ser substituídas pelas de silicone puro.

Vários alimentos podem estabelecer reação cruzada com látex e assim nos causar reações, mas temos de verificar a procedência dos mesmos para isentar contaminações por látex em sua produção antes de elimina-los desnecessariamente da dieta. No caso do leite a menos que se tenha como conseguir de ordenha manual, sempre terá muita contaminação de látex pelo uso das teteiras na ordenha. Muitos moinhos também ainda utilizam tubulação de borracha por onde passa a farinha, assim como muitas indústrias utilizam luvas, então toda origem dos alimentos deve ser investigada pois mesmo com a lei da rotulagem a entrar em vigor em junho sabemos que nem todos seguem leis.

Supermercados e outros utilizam luvas de látex no manuseio de alimentos, o que é risco não só ao consumi-los como ao entrarmos nestes ambientes.

Sal, bicarbonato e outros podem ter contaminação por látex no processo de secagem.

Embalagens com cola que contenha látex contamina o alimento.

Gomas utilizadas em diversas coisas como alimentos e creme dental (goma guar e goma xantana) são a base de resinas naturais (látex).

Colchões e travesseiros podem ser de látex. Confira as etiquetas ou entre em contato com fabricante pois há boas alternativas livres de látex.

Bem, se eu ficar relatando o texto será ainda mais imenso e talvez muitos cansem de ler na metade, então vamos aos poucos. Com estes alertas, aprendendo a ter uma visão mais apurada para detectar e tentar excluir tudo ou ao menos o máximo do que há com látex em nossas vidas, pois essa é a única maneira até o momento de evitarmos maior sensibilização ou mesmo crises que podem ser fatais.

Anúncios